CONTRATO DE PERMANÊNCIA E FIDELIDADE – QUAIS AS REGRAS?

Ao contratar um serviço o consumidor frequentemente se depara com o contrato de permanênciaÉ um instrumento de  fidelização de clientescom destaque para telefonia e TV por assinatura.

Trata-se de prática antiga em que a operadora oferece ao cliente um benefício como tarifas inferiores, um aparelho novo, um bônus, além de outras vantagens. Em troca exige a permanência do cliente no contrato por até 12 (doze) meses. Este período mínimo é então usado para recuperar o investimento da empresa com o benefício fornecido, em tese, gratuitamente.

Quais são então as regras do contrato de fidelidade? Poderá a prestadora exigir a fidelidade de seus clientes por um período mínimo?

Contrato de Permanência
Contrato de Permanência

CONTRATO DE PERMANÊNCIA – QUAIS OS DIREITOS DO CONSUMIDOR?

O contrato de permanência consta na Resolução 632/2014 – “Regulamento Geral de Direitos do Consumidor de Serviços de Telecomunicações” da ANATEL.

A Resolução autoriza a prestadora de serviços a oferecer aos seus clientes benefícios para que, em troca, permaneçam vinculados ao contrato por um prazo mínimo. Contudo, a fidelidade não poderá ser exigida, ou imposta, em hipótese alguma. A prerrogativa de aceitar ou não a oferta é do consumidor!

A empresa poderá propor ao consumidor um benefício informando-o que se aceitar, em troca, precisará permanecer vinculado ao contrato por até 12 (doze) meses. Aceita a oferta com informação adequada e clara, formalizado está o contrato de permanência.

O cliente poderá então a qualquer momento desistir do contrato desde que indenize a prestadora pelos investimentos realizados, pagando a multa proporcional para o fim do contrato. Observe que o percentual da multa não poderá ser abusivo sendo aceitável o limite de 10% (dez por cento) do valor do contrato anual.

Este percentual deverá ser reduzido proporcionalmente, com um desconto cada vez maior, à medida que o cliente se aproxima do fim do período combinado.

A FIDELIDADE CONTINUA VALENDO QUANDO HÁ DEFEITOS NO SERVIÇO?

Fique atento pois a prestadora poderá exigir a fidelidade somente se cumprir com qualidade o serviço combinado.

Havendo descumprimento do contrato ou má qualidade do serviço prestado, o cliente poderá cancelar o contrato de permanência mesmo que não cumprido o período de fidelidade, sem pagar multa.

Havendo defeitos na prestação de serviços é importante dar à prestadora ou operadora a oportunidade de sanar o problema. Para estas situações temos um artigo: “Direitos do Consumidor – uma passo a passo para resolver problemas”.

Em situações mais difíceis ou extremas, com grave lesão aos Direitos do Consumidor, um advogado de confiança poderá orientá-lo nos seus direitos.

Leia também
PLANOS DE SAÚDE – QUAIS OS DIREITOS NA DOENÇA PREEXISTENTE?
Planos de Saúde e Doenças Preexistentes

Um dos problemas comuns dos usuários dos planos de saúde é a recusa de cobertura médica. Por consequência, o paciente Read more

DISTRATO JUDICIAL – QUAIS OS DIREITOS DO COMPRADOR DO IMÓVEL?
Distrato Judicial de Imóvel na Planta

Muitos consumidores acabam desistindo da compra imobiliária e almejam o distrato judicial. Os motivos são os mais diversos, mas o Read more

IMÓVEL COM DEFEITO – QUAL PRAZO DE GARANTIA?
Defeito no Imóvel e Prazos de Garantia

Imóvel com defeito é sinônimo de decepção. Péssimo acabamento, materiais de qualidade inferior, problemas estruturais, áreas públicas não entregues, caixas Read more

DIREITO DE ARREPENDIMENTO VALE PARA COMPRAS EM LOJAS FÍSICAS?
Compras no Exterior

Como talvez você já saiba o Código de Defesa do Consumidor dá ao comprador o direito de arrependimento de uma Read more