CONTRATOS – PRECISO REALMENTE DE UM ADVOGADO?

Você está procurando modelos de contratos prontos? Hoje, com as facilidades digitais, é fácil encontrar na internet modelos prontos de contratos, gratuitos ou pagos. Aqueles que negociam e pretendem elaborar um contrato almejam segurança jurídica. Afinal, não querem que o negócio seja apenas verbal. Querem a garantia de que vão receber o combinado e que o negócio será devidamente executado. Neste caso, é possível que o interessado elabore seus próprios contratos? Ou precisa realmente de um advogado?

Negociação e Contratos
Negociação e Contratos

CONTRATOS – A PARTICIPAÇÃO DO ADVOGADO É OBRIGATÓRIA?

Em situações específicas, como a constituição de sociedade empresária ou pessoa jurídica, a participação do advogado é obrigatória. Caberá ao advogado analisar a vontade dos sócios, o negócio realizado e a legalidade de seus atos. Em seguida, caberá a ele elaborar o contrato social ou o estatuto da pessoa jurídica apondo também sua assinatura. Sem a participação do advogado a empresa nem chegará a existir. O registro é recusado pela Junta Comercial ou pelo Cartório de Registro de Pessoas Jurídicas por motivos legais.

Contudo, em casos mais corriqueiros como:

  • contrato de aluguel,
  • compra e venda de imóveis ou automóveis,
  • venda ao consumidor,
  • prestação de serviços,
  • além de outras situações,

a assinatura do advogado não é obrigatória para dar validade ao contrato.

Mesmo assim, recomendamos que a análise jurídica do negócio seja feita por um advogado. Afinal, contratos incompletos, confusos, com cláusulas contrárias à legislação, podem prejudicar os contratantes, principalmente os de boa-fé.

Para não entrar numa cilada, recomendamos que você use os serviços profissionais de um advogado para elaborar um contrato. No caso de contratos já prontos ou elaborados pela outra parte, recomendamos que procure um advogado para que lhe oriente tirando dúvidas antes da assinatura.

Como profissionais, já nos deparamos com cidadãos desavisados que assumiram obrigações ou dívidas impossíveis de pagar. O mais curioso é que eles mesmos redigiram o contrato com cláusulas que lhes prejudicavam severamente.

CONTRATO – NÃO LI, MAS ASSINEI! O QUE FAÇO?

Se você assinar um documento sem ler confessando uma obrigação ou dívida que não possui ou um valor de dívida maior estará com sérios problemas.

Uma das obrigações básicas de todo consumidor e cidadão é ler cabalmente e entender tudo o que assina. Por esse motivo, se não entendeu não assine! Se quiser entender, procure um advogado de sua confiança, não o advogado da parte contrária.

Se você assinou um documento ou contrato sem ler e se arrependeu será necessário consultar um advogado. A orientação profissional será necessária para elaborar a melhor estratégia e lidar com este problema.

FIQUE ATENTO!

  • Nunca assine papéis ou recibos em branco, nem documentos sem ler e entender seu conteúdo!
  • No caso de contratos prontos, recomendamos que procure um advogado de sua confiança para esclarecer suas dúvidas.
  • Se você concluiu um negócio, busque a ajuda profissional de um advogado para elaborar o contrato de uma forma que lhe dê garantia e segurança jurídica.
  • O contrato precisa ser formalizado com a presença de duas testemunhas.
  • Nunca execute o negócio se o contrato não estiver assinado e devidamente formalizado.

Leia também
FINANCIAMENTO – DEVOLUÇÃO DO BEM NÃO QUITA A DÍVIDA!
Contrato de Financiamento

É bem conhecido o desespero do consumidor que por desemprego ou alteração de sua situação financeira não consegue arcar com as Read more

ADVOCACIA – O QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE CONTRATAR?
Testamento Vital

A maior dificuldade do consumidor ao contratar um escritório de advocacia é o acesso à informação. Muitos não conseguem entender Read more

ERRO MÉDICO – COMO FAZER VALER OS DIREITOS DO PACIENTE?
Negligência Médica

Situações de erro médico são muito estressantes para o paciente ou seus familiares. É uma situação que causa muita ansiedade, Read more

PLANOS DE SAÚDE – QUAIS OS DIREITOS NA DOENÇA PREEXISTENTE?
Planos de Saúde e Doenças Preexistentes

Um dos problemas comuns dos usuários dos planos de saúde é a recusa de cobertura médica. Por consequência, o paciente Read more