DILIGÊNCIAS PREVENTIVAS – O QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE FECHAR UM NEGÓCIO?

São poucos os consumidores que se preocupam com diligências preventivas ao efetuar uma compra ou contratar um serviço. Contudo, conhecer os custos antecipadamente ou prever as despesas é uma boa técnica para evitar compras por impulso e novos problemas. Afinal, grandes diferenças de preço podem ser irrisórias se o produto que comprou ou serviço que contratou der problemas de qualidade ou ocorrer a inadimplência do fornecedor! Quais as despesas envolvidas para defender seus direitos de consumidor? Quais as diligências preventivas para evitar problemas com produtos e serviços?

Diligências Preventivas
Diligências Preventivas

DESPESAS CONTRATUAIS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA – O QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE COMPRAR QUALQUER PRODUTO?

Segundo a legislação brasileira (Código de Defesa do Consumidor) todo produto possui o prazo de garantia legal e obrigatório de 30 (trinta) dias para produtos não duráveis ou perecíveis e de 90 (noventa) dias para produtos duráveis. Além desses prazos, algumas empresas prometem prazos de garantia maiores, como a garantia contratual de 01 (um) ano, 03 (três) anos e até 05 (cinco) anos para alguns bens. Há também a garantia estendida que na realidade é um seguro vendido pelo lojista com prazos de garantia adicionais.

Mas algumas reflexões são fundamentais antes de qualquer compra: 1) Qual a reputação da marca do produto? 2) Este produto que estou comprando é realmente um produto original? 3) Há assistência técnica para este produto na região onde moro? 4) A assistência técnica é de qualidade? 5) Qual a reputação da loja que está vendendo o produto? 6) O produto é realmente vendido por essa loja ou é de um lojista parceiro? 7) Com esse produto corro o risco de um acidente? 8) Se eu tiver um problema com esse produto quais serão os custos envolvidos (tempo e dinheiro) para resolver meu problema? 9) Após o prazo de garantia haverá peças de reposição disponíveis para este produto?

Leia também:  DIREITO DE TROCA - A LOJA É SEMPRE OBRIGADA A TROCAR O PRODUTO?

Refletir sobre estas questões é fundamental para entender a dinâmica de preços, escolher marcas e lojas confiáveis e evitar problemas de consumo que podem lhe dar grande dor de cabeça.

DILIGÊNCIAS PREVENTIVAS E ANÁLISE DE SOLVÊNCIA – QUAL A REPUTAÇÃO DO VENDEDOR?

Se você quer comprar um produto ou contratar um serviço é natural exigirem seu número de CPF e realizarem uma busca de sua vida: Qual sua reputação? Está com nome sujo? Costuma pagar suas contas em dia? Mas o consumidor, infelizmente, não tem o hábito de fazer o mesmo com o CNPJ ou o CPF do vendedor! Não quer ter despesas com diligências preventivas!

Certa vez nos deparamos com uma situação bem curiosa! Um comprador de um imóvel na planta foi registrar a Escritura Pública de Compra e Venda no Registro de Imóveis. O cartório condicionou o registro do imóvel à assinatura do comprador em um termo de ciência de que a construtora não era solvente e possuía muitas dívidas que poderiam comprometer o imóvel. Ou seja, o consumidor corria o sério risco de perder o imóvel por dívidas da construtora, por ter negociado com uma empresa com nome sujo.

Em sites de reclamação de consumidores se multiplicam queixas de inadimplência do vendedor com produtos não entregues, assistência técnica inexistente, clientes que pagaram boletos falsos, além de outras tantas situações que poderiam ter sido evitadas com diligências preventivas. A análise de solvência e da reputação do vendedor são essenciais se você quer efetuar uma boa compra!

DILIGÊNCIAS PREVENTIVAS E DESPESAS CONTRATUAIS – O QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE ENTRAR COM UM PROCESSO?

Temos em nosso site o seguinte post: “Direitos do Consumidor – Um passo a passo para resolver problemas!” Este artigo tem sido muito útil para clientes que almejam resolver problemas de direitos do consumidor sem precisar de um advogado. Contudo, a solução do problema requer um empenho do consumidor, muita paciência e conhecimento de direitos para não ser enganado!

Leia também:  VIAGENS INTERNACIONAIS – TENHO DIREITO À ASSISTÊNCIA?

Em algumas situações a atuação de um advogado de confiança será indispensável para resolver o problema! Nestas situações é de crucial importância que o consumidor entenda que custos serão inevitáveis!

Quais são as despesas de um processo judicial? Um processo judicial geralmente possui as seguintes despesas: honorários de advogado, despesas com consultoria, despesas com diligências em órgãos públicos, custas, taxas judiciárias, emolumentos, honorários de peritos e profissionais auxiliares, além de outras despesas.

Não é sem motivo que dependendo dos valores envolvidos alguns clientes optam por assumir o prejuízo e não defender seus direitos! Por esse motivo, recomendamos aos nossos clientes as diligências preventivas para efetuar uma boa compra com garantias que reduzam o risco de inadimplência do fornecedor!