INDENIZAÇÃO DO SEGURO DE VIDA PODE SER NEGADA POR DOENÇAS PREEXISTENTES?

É recorrente o consumidor e sua família serem prejudicados com a recusa da seguradora no pagamento da indenização do seguro de vida.

Quem procura um seguro quer amparo em situações de óbito, doenças graves e invalidez. O objetivo é proteger financeiramente a si e os a quem ama.

Contudo, ocorrendo o sinistro e sendo necessária a indenização muitas seguradoras simplesmente não querem pagar. Em muitos casos alegam que a doença é preexistente.

No seguro de vida, a indenização poderá ser negada por doenças preexistentes? Sendo a indenização negada como promover a cobrança da indenização do seguro de vida mediante ação judicial?

Indenização do Seguro de Vida

SEGURO DE VIDA – O QUE SÃO DOENÇAS PREEXISTENTES?

No seguro de vida o que são doenças preexistentes? Sob o enfoque jurídico, doenças preexistentes são aquelas que o segurado tinha plena ciência na contratação do seguro.

Neste caso, se o segurado tiver alguma doença deverá discriminá-la no formulário próprio, a chamada “declaração de saúde”. Agindo o segurado com boa fé e apontando a doença, a seguradora não poderá negar a indenização se emitiu a apólice.

Preste bastante atenção porque não são doenças preexistentes aquelas realmente existentes, mas que não eram do conhecimento do paciente quando contratou o seguro de vida.

Em benefício do consumidor há a Súmula 609 do STJ (Superior Tribunal de Justiça):

“A recusa de cobertura securitária, sob a alegação de doença preexistente, é ilícita se não houve a exigência de exames médicos prévios à contratação ou a demonstração de má-fé do segurado”.

É ônus da seguradora comprovar que o segurado agiu com má fé quando preencheu a declaração de saúde.

INDENIZAÇÃO DO SEGURO DE VIDA – COMO REALIZAR A COBRANÇA JUDICIAL?

Em seguros de vida tem se tornado cada vez mais comum a seguradora alegar que a doença que vitimou o segurado é preexistente.

Leia também:  REDES SOCIAIS – QUAIS OS DIREITOS DO CONSUMIDOR?

Em algumas situações o seguro é pago durante toda a vida pelo arrimo de família. Quando o beneficiário não foi quem contratou o seguro, geralmente se sente desanimado para ir atrás de seus direitos.

Contudo é importante que o segurado, seus familiares e dependentes procurem um advogado de sua confiança para analisar os documentos e elaborar um parecer jurídico.

Para uma doença ser considerada preexistente a seguradora precisará provar que o segurado e consumidor:

  • estava doente antes da contratação do seguro;
  • sabia da doença;
  • ocultou o fato no momento da contratação;

Por esse motivo, a consultoria jurídica é recomendada, para que não haja prejuízos com os direitos investidos num seguro de vida.

Advogado. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas/SP. Pós Graduado em Direito Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas. Vivência jurídica profissional desde 1999 inicialmente no Ministério Público do Estado de São Paulo (direitos difusos e coletivos) e posteriormente no Tribunal Regional do Trabalho da 15.ª Região (ações trabalhistas). Advogado e consultor desde 2002, com ênfase no Direito Privado.