NEGLIGÊNCIA MÉDICA – TRÊS PASSOS OBRIGATÓRIOS PARA DEFENDER SEUS DIREITOS!

O que é erro médico, chamado por muitos de negligência médica? É um defeito no serviço de saúde que venha a causar dano no paciente. Não importa se o erro foi cometido por um médico, um enfermeiro, um dentista, ou até mesmo pela administração hospitalar. Também não importa se o erro ocorreu em um órgão público ou particular! O defeito no serviço com dano ao paciente caracteriza a negligência médica.

São exemplos de erro médico o diagnóstico incorreto, o tratamento ou medicamento inadequado, a infecção hospitalar, a demora no atendimento ou na cirurgia, a cirurgia incorreta, o atraso na realização do parto, a realização de procedimentos ou cirurgias contra a vontade do paciente, entre outras situações.

Além das sequelas, havendo suspeita de negligência médica o paciente e sua família enfrentam sofrimento e muita dúvida. Quais os passos obrigatórios para resguardar seus direitos, como paciente ou familiar?

Negligência Médica
Negligência Médica

NEGLIGÊNCIA MÉDICA – OBTENHA UMA CÓPIA DO PRONTUÁRIO!

É direito do paciente e seus familiares obter uma cópia completa e legível do prontuário médico no hospital onde houve o atendimento.

Para obter esta cópia não é necessário que o paciente ou seus familiares justifiquem o motivo da solicitação. É seu direito obter esta cópia porque se trata de um documento oficial e obrigatório, acessível ao paciente. Não fique com receio de fazer esta solicitação!

Saiba que é comum os hospitais se depararem com a solicitação de cópias dos procedimentos médicos!

ERRO MÉDICO – OBTENHA UMA SEGUNDA OPINIÃO MÉDICA!

Com o prontuário médico em mãos é possível consultar outros profissionais da área de saúde. Esta segunda opinião médica é muito importante porque o paciente e seus familiares geralmente são leigos em procedimentos médicos.

Leia também:  INTERNAÇÃO HOSPITALAR - OS PLANOS DE SAÚDE PODEM ESTABELECER LIMITES?

Com a ajuda de outros profissionais é possível fazer uma análise minuciosa, realizar as diligências adequadas e elucidar a situação com mais segurança. Neste caso, o paciente e seus familiares poderão ter uma ideia se houve efetivamente erro médico ou uma fatalidade.

PROCURE ORIENTAÇÃO JURÍDICA!

O advogado especialista em Bioética, Biodireito e Responsabilidade Civil Médica está apto a fornecer a orientação jurídica necessária para que o paciente e seus familiares elucidem a questão com mais segurança.

Com conhecimento do Direito poderá averiguar se houve negligência médica, imprudência ou imperícia da equipe médica. Também, constatando o erro médico, estará apto a elaborar um parecer com os direitos do paciente e eventuais indenizações possíveis!

Por esse motivo, é muito importante que o paciente e seus familiares procurem um advogado especialista de sua confiança. Um processo judicial é um ambiente de litígio e, por esse motivo, é fundamental ter uma boa estratégia para não correr riscos.

Afinal o erro médico efetivo causa muita dor e é seu direito ser efetivamente ressarcido dos danos e do sofrimento!

Advogado. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas/SP. Pós Graduado em Direito Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas. Vivência jurídica profissional desde 1999 inicialmente no Ministério Público do Estado de São Paulo (direitos difusos e coletivos) e posteriormente no Tribunal Regional do Trabalho da 15.ª Região (ações trabalhistas). Advogado e consultor desde 2002, com ênfase no Direito Privado.