DIREITO DE TROCA – A LOJA É SEMPRE OBRIGADA A TROCAR O PRODUTO?

Para fidelizar a clientela é costume das lojas oferecer a seus clientes o direito de troca do produto. O cliente poderá voltar na loja e trocar o que comprou dentro de um prazo de dois a cinco dias. Trata-se de uma troca para satisfação e conveniência do consumidor! Pode ser uma roupa que não serviu, um item que o amigo presenteado já possuía, um equipamento comprado por equívoco e tantas outras situ

DEFEITO – POSSO TROCAR OU TER O DINHEIRO DE VOLTA?

Você sabe muito bem o quanto comprar um produto com defeito é frustrante! Por esse motivo, ao constatar o defeito muitos consumidores vislumbram a possibilidade de desistir da compra e ter o dinheiro de volta! A frustração pode ocorrer na compra de um eletrônico, um eletrodoméstico, uma roupa, um alimento, ou mesmo na compra de um automóvel ou um imóvel. Neste post você vai entender: Quando há defe

DINHEIRO DE VOLTA – SETE SITUAÇÕES QUE O CONSUMIDOR TEM DIREITO!

São frequentes as situações que o consumidor quer ser ressarcido com seu dinheiro de volta. Compras por impulso, defeitos no produto e danos materiais ou morais levam o consumidor a buscar seus direitos. Há também situações de compra de bens de elevado valor, como imóveis, com grave lesão aos direitos do consumidor. Contratos complexos e informação insuficiente muitas vezes escon

IMÓVEL NA PLANTA – QUERO MEU DINHEIRO DE VOLTA!

O principal desafio de quem compra imóvel na planta é aguardar o término da construção. A demora geralmente resulta na alteração da capacidade financeira do comprador. Por consequência, há o risco de não ter o financiamento bancário aprovado. Como agravante a correção monetária do saldo devedor do imóvel pelos índices de construção civil – INCC – acaba po

A ARMADILHA DO IMÓVEL NA PLANTA!

Sonhando com a casa própria é comum o consumidor enxergar o imóvel na planta como a melhor alternativa! Afinal, acredita que os custos são menores do que comprar um imóvel pronto e acabado! Como atrativo há os subsídios do Governo Federal através dos bancos públicos. Contudo, muitos consumidores desavisados que assinaram contratos sem entender foram obrigados a devolver o imóvel porque